Magazine do Xeque-Mate

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Luiz "mato no peito" Fux... Escolhido relator dos infringentes na AP 470

Xeque - Marcelo Bancalero

Poxa, a melhor coisa que Fux fez em todo o julgamento da AP 470, quando não saia em defesa do Joaquim Barbosa, e nos desgastava com suas falas desconexas, era sua habilidade de matar no peito e poupar-nos de acompanhar suas reflexões parecidas com a daquele "sábio chinês" da música do Raul Seixas, que não sabia se era uma borboleta que sonhou que era um sábio chinês ou um sábio chinês que sonhou que era uma borboleta. Se tratando de Fux, como ministro do supremo, é um péssimo guitarrista e só.

Agora, numa última desesperada tentativa de Joaquim Barbosa de reduzir os danos da surra que levou com a aprovação dos infringentes, conseguiu de alguma maneira, (que eu duvido não tenha sido sórdida), encaixar seu fiel escudeiro como relator dos infringentes.

Conhecendo o perfil de Fux, sei que o tiro deve sair pela culatra.
O atrapalhado e despreparado ministro, vai fazer tanta confusão na sua relatoria, que deverá atrapalhar quaisquer planos que JB tenha pensado. 

Para o jogo sujo, Gilmar Dantas Mente poderia se sair melhor, mas este não é um fiel escudeiro como Fux... Sua colaboração tinha outros fundos de motivação, e não o apreço por Joaquim Barbosa como todos sabem.

Bom, veremos no que vai dar...
Importante que a sonhada fotinha de Dirceu algemado já era!
Enquanto isso, continuaremos nossa luta para anular esse mentirão, provando a inocência de Henrique Pizzolato, que agora, com Lewandoski sendo relator do Inquérito 2474, é algo que está mais próximo do se pensa.
#PresosPolíticosNuncaMais
Leia o artigo;

Luiz "mato no peito" Fux será o novo relator da AP 470

Do G1
Luiz Fux será relator de recurso que leva a novo julgamento no mensalão
Por 6 a 5, Supremo decidiu dar nova chance a 12 réus do mensalão.
Com isso, José Dirceu e mais 11 réus serão julgados novamente.
Mariana Oliveira, Fabiano Costa e Rosanne D'Agostino
Do G1, em Brasília e em São Paulo
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux será o relator dos embargos infringentes, recurso que leva a um novo julgamento nas condenações em que o réu obteve ao menos quatro votos favoráveis.
O recurso, que teve a validade confirmada pelo plenário do Supremo, dará uma nova chance nos crimes de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha para 12 dos 25 condenados no processo do mensalão. Com isso, o encerramento da ação penal e o cumprimento das prisões – que poderiam ocorrer ainda neste ano – deve ficar para 2014.
A aceitação pelo Supremo dos embargos infringentes poderá levar à mudança do regime de prisão (do fechado para o semiaberto) de três réus (José Dirceu, Delúbio Soares e João Paulo Cunha), caso eles sejam absolvidos do crime no qual obtiveram quatro votos a favor. Há possibilidade de isso ocorrer porque o tribunal tem dois novos ministros em relação aos que julgaram o processo no ano passado – Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso.
Pelo regimento do Supremo, os embargos infringentes só devem ser apresentados depois da publicação da decisão dos embargos de declaração, que contestam omissões, contradições ou obscuridade e cujo julgamento foi concluído no começo de setembro.
Pelo regimento, o prazo para publicação do acórdão (documento que resume as decisões do julgamento) é de 60 dias – a expectativa é de que seja publicado em novembro. O regimento prevê 15 dias após a publicação para apresentação do recurso, mas o Supremo dobrou o prazo.
Apesar de ser um recurso para fase posterior, a discussão sobre a validade dos infringentes foi antecipada porque o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares apresentou o recurso. Em decisão individual, Joaquim Barbosa negou por entender que não era cabível, e a defesa recorreu para que o plenário decidisse sobre a validade.




License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido