Magazine do Xeque-Mate

terça-feira, 15 de julho de 2014

Copa do Mundo injeta R$ 30 bilhões na economia brasileira, aponta Fipe

Xeque- Marcelo Bancalero

Importante a dica é do comp@ Mauricio Martins ...
Além do retorno do dinheiro que foi FINANCIADO pelo BNDS, do retorno pela propaganda boca a boca que os estrangeiros já fazem de nosso país lá fora... 
O país já pode comemorar o sucesso financeiro que a #CopaDasCopas proporcionou...
Mas apenas àqueles que não se atemorizaram com as falsas noticias dessa mídia nojenta.
Copa do Mundo injeta R$ 30 bilhões na economia brasileira, aponta Fipe

Leia mais;

COM ESTE VALOR QUANTOS MARACAS E HOSPITAIS
SERÃO CONTRUIDOS?
Copa do Mundo injeta R$ 30 bilhões na economia brasileira, aponta Fipe
O valor equivale a cerca de 0,6% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro 

O crescimento do Brasil seria ainda mais fraco neste ano se o país não tivesse sediado a Copa do Mundo. Apesar de o impacto do evento na economia ser considerado pequeno, a exemplo do que ocorreu em outros países, parte do setor de serviços e comércio viu, de forma pontual, a receita aumentar com o Mundial. A avaliação é de analistas, empresários e entidades de classe de 15 segmentos consultados.
Com o evento esportivo, R$ 30 bilhões devem ser injetados na economia, segundo estimativa da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) para o governo.
O valor equivale a cerca de 0,6% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro. E está próximo daquilo que eventos de grande porte, como a Olimpíada, trouxeram de incremento à economia de países que sediaram esses torneios.
O cálculo da Fipe partiu do impacto econômico da Copa das Confederações, realizada há um ano em seis cidades, que acrescentou R$ 9,7 bilhões ao PIB.
Considera efeitos diretos e indiretos do torneio, investimentos públicos e privados em infraestrutura, gastos de turistas e do comitê da Fifa.
Para o banco Itaú, o torneio deve incrementar o PIB entre 1% e 1,5% –efeito que começou em 2011, com o início das obras, que geraram emprego e renda no país.
O placar final do impacto na economia, ainda no campo das projeções de analistas, está próximo do que ocorreu em outros países que sediaram o evento desde 1982.
Desempenho
Ao comparar o desempenho de nove países, Bráulio Borges, economista da LCA Consultores, concluiu que o PIB teve aceleração de um ponto percentual, em média, no ano da Copa e arrefecimento de 0,5 ponto percentual no ano seguinte.
Para o levantamento, ele comparou o crescimento do PIB no ano anterior ao do torneio com a variação nos dois anos seguintes em oito Copas. Isso ocorreu em sete países: Espanha, EUA, França, Coreia do Sul, Japão, Alemanha e África do Sul. Só não ocorreu no México e na Itália.
A presidente Dilma Rousseff deve anunciar nos próximos dias o impacto final na economia. Pelos últimos dados, considera-se que as despesas com infraestrutura somem R$ 22,5 bilhões; as operacionais,
R$ 1,2 bilhão; e os gastos de turistas, R$ 6 bilhões.
Para o professor Wilson Rabahy, da Fipe, os números não devem ficar longe disso. Mas, diz, o que importa é o que virá após a Copa.
"As obras já feitas devem gerar novos investimentos em regiões como a do Itaquerão (zona leste de SP), a do Mineirão (BH) e ao redor do Maracanã (RJ)". O destaque, segundo ele, é do setor de transporte terrestre e aéreo.
O fato de o Brasil ainda ser uma economia "bastante fechada" amplia as possibilidades de ganhos com a maior integração com o exterior gerada pelo Mundial, avalia Caio Megale, economista do Itaú Unibanco.
"Os efeitos positivos para o Brasil tendem a ser maiores do que para outros países mais integrados à economia global que já sediaram a Copa, como Alemanha e Japão."
A visibilidade que o país ganhou tem de se transformar em receita não pontual, mas ao longo prazo, diz o professor Mauro Rochlin, da FGV.
"A Espanha conseguiu mudar o patamar de seu turismo após sediar a Olimpíada, em 1992. Passou de 10 milhões de turistas por ano para 20 milhões. Esse é o desafio que está posto ao Brasil."

Fonte

Quem vai pagar o 'prejuízo' da Copa?


"Por causa de todo aquele clima que havia antes, muita gente deixou de se preparar como devia, ficou com medo de investir e ter prejuízo. Pequenos comerciantes, por exemplo, poderiam estar faturando muito se tivessem acreditado que a Copa ia ser assim tão bacana."

Quem me disse isso, talvez não exatamente nestas palavras, foi um amigo querido, cuja família tem um posto de gasolina em São Paulo. Assim como milhares de outros pequenos e médios empresários das grandes cidades brasileiras, ele também ficou constrangido pelo clima do "não vai ter Copa", poderia ter apostado no sucesso do evento, investido mais, criado, por exemplo, eventos, atrativos ou promoções inspirados na Copa para aumentar a clientela.
Mas não fez isso. Não ia ter Copa, lembram?
Algum caro economista aí é capaz de me dizer como faço para calcular o prejuízo que os arautos do pessimismo e do mau humor, 'black blocks' e cia. à frente, causaram ao país?
Por conta de tudo o que não foi feito, tudo o que deixou de ser investido para gerar receita, com tudo o que se poderia ter sido oferecido, vendido para torcedores, turistas, comitivas e quetais, tendo como temática a Copa, e não foi.
Quanto?
Apenas para citar um exemplo: toda esta zona que esta acontecendo na Vila Madalena, em São Paulo, não poderia ter sido evitada se Prefeitura, comerciantes, produtores, artistas, empreendedores em geral desta cidade não tivessem sido contaminados pelo vírus do "não vai ter Copa" e pudessem ter replicado em diversos outros pontos de São Paulo dezenas de "vilas madalenas" com estrutura e opções para que o povo tivesse onde torcer, comemorar, xavecar, encher a cara, que seja, sem criar o transtorno que está ocorrendo num bairro só?
Quantas praças, campos, clubes, ONGs, associações, terreiros, ruas de comes e bebes, casas noturnas, salões de festas, quantas e tantas localidades poderiam ter sido envolvidas em ações para se criarem polos em que a Copa fosse devidamente curtida, aproveitada e explorada comercialmente de uma maneira saudável para todos...
Outro exemplo? O pessoal de turismo, que se amuou e não investiu o que podia na preparação de roteiros, alternativas, pacotes e oportunidades para as centenas de milhares de turistas que estão por aqui não ficassem à toa, pudessem aproveitar melhor o país, seus encantos, suas possibilidades fantásticas, movimentando ainda mais a economia?
Mas não ia ter Copa, e ficou todo mundo meio paralisado, esperando uma tragédia que não houve, um caos que está longe de ocorrer, o vexame inexistente, perdendo um bonde que não vai passar de novo.
Mas fazer o quê? Afinal, como registrou o sempre pertinente jornalista Ricardo Kotscho em seu blog, sofremos um massacre midiático –de dentro e de fora do país– no qual fomos retratados "como um povo de vagabundos, incompetentes, imprestáveis, corruptos, incapazes de organizar um evento deste porte".
Além de pagar o mico de estarmos sendo desmentidos por ninguém menos que nossos próprios visitantes –"Fantastic people", dizem eles repetida e entusiasmadamente–, ainda teremos de conviver com a fantástica oportunidade perdida.
Quem vai pagar esta conta?
*
Você sabia que esta é a primeira Copa do Mundo na qual todos os estádios seguiram modelos de construção e gestão sustentável, com direito a certificação internacional e ao consagrado selo LEED (Leadership in Energy and Environmental Design)? E que a FIFA gostou tanto da ideia que fará as mesmas exigências nas próximas edições do Mundial?
Não sabia, claro, porque os estádios não iam ficar prontos, não ia ter Copa etc., etc...
*
Para você, qual foi o momento mais bizarro desta Copa até agora:
1 - A cena da caravana de veículos em Brasília escoltando os U$ 3 milhões que seriam entregues aos jogadores de Gana (ou Grana...).
2 - A mordida colérica do jogador uruguaio no jogador italiano.
3 - A festa que os uruguaios fizeram para recepcionar o colérico jogador uruguaio que mordeu o jogador italiano.
*
Como escrevi este texto na sexta-feira, a esta altura o Brasil já pode:
1- ter dado adeus ao campeonato, o que seria uma tristeza, mas também uma oportunidade de dizer: valeu!
2 - ter se classificado para as quartas de final, o que geraria uma certeza quase absoluta: é campeão!










Assista aos vídeos do Canal Quero+Brasil do You Tube https://www.youtube.com/channel/UCAjh8K4pKjKy61_7QMRfC4A não se esqueça de inscrever-se no Canal 

E por favor!
Meus dias estão contados aqui...
Sem condições financeiras, em breve estarei fora da internet!
Preciso de sua ajuda para continuar meu trabalho pois +Quero Mais Brasil




Se como eu você diz aos seus seguidores Quero + Brasil um Brasil de Verdade e Em 2014 Sou Mais Dilmais com postes de Lula pelo Brasil ajude-nos a continuar nossa luta!
Você pode fazer isso com deposito para Marcelo Bancalero Conta CAIXA ECONÔMICA ag. 2196 operação 023 c/c 00004488-3
 — com Marcelo Xeque Mate Bancalero.
ou pelo Pag Seguro UOL em pode usar o link do Pag Seguro clicando no botão Doar com Pag Seguro na coluna à direita no blog







Você pode gostar também de ler; 
http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/uma-selecao-de-verdades-sobre-o-que.html







http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/dica-para-o-enem-2014-na-questao-qual-o.html

http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/os-protestos-brasileiros-e-o-way-of.html







http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/a-batata-dos-marinhos-esta-assando.html









http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/acabou-copadascopas-parabens-alemanha.html








http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/obrigado-amigos-do-xeque-mate-noticias.html








http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/bomba-o-pentacampeao-rivaldo-da-uma.html







http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2014/07/tucanato-mineiro-segue-risca-modelo.html
































License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido