Magazine do Xeque-Mate

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Conheça a Capivara de Gilmar Mendes aquele que quer rejeitar as contas da Dilma


Xeque - Marcelo Bancalero

Quem é Gilmar Mendes pra rejeitar contas de Dilma?
E suas próprias contas...
Será que passariam desapercebidas caso fossem auditadas?
Um bandido de toga é o que ele é!
Adora processar quem lhe intima...
Mas até o velhaco Joaquim Barbosa , que sabe bem quem ele é...
Já lhe colocou no devido lugar!
Conheça um pouco da capivara ( http://goo.gl/qKT8RU ), do bandido de toga Gilmar Dantas Mendes





Representante máximo da política conservadora e hipócrita brasileira no STF recebeu PROPINA do MENSALÃO TUCANO!






Reportagem da revista Carta Capital faz uma denúncia gravíssima, aonde traz documentos inéditos sobre a contabilidade do chamado “valerioduto tucano”, que ocorreu durante a campanha de reeleição do então governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. A matéria, assinada pelo repórter Leandro Fortes, mostra que receberam volumosas quantias do esquema, supostamente ilegal, personalidades do mundo político e do judiciário, além de empresas de comunicação, como a Editora Abril, que edita a Revista Veja. Estão na lista o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), os ex-senadores Artur Virgílio (PSDB-AM), Jorge Bornhausen (DEM-SC), Heráclito Fortes (DEM-PI) e Antero Paes de Barros (PSDB-MT), e José Agripino Maia (DEM-RN), o governador Marconi Perillo (PSDB-GO) e os ex-governadores Joaquim Roriz (PMDB) e José Roberto Arruda (ex-DEM), ambos do Distrito Federal, entre outros. Também aparecem figuras de ponta do processo de privatização dos anos FHC, como Elena Landau, Luiz Carlos Mendonça de Barros e José Pimenta da Veiga. Explique-se, Sr. Gilmar Mendes!

O “mensalão” de Gilmar Mendes

O esquema de Gilmar Mendes é conhecido há tempos. Com esse IDP, ele arrecada dinheiro para fazer o que bem entender, inclusive contratar, a preço de outro, colegas seus do STF, o que é evidentemente um acinte.
E agora descobrimos que IDP, a escolinha do professor Gilmar, celebrou contratos milionários com o Tribunal de Justiça da Bahia, na época em que este era presidido por Mario Alberto Hirs.
A denúncia é do Luis Nassif:
*
Contrato do IDP com o TJ da Bahia foi firmado quando CNJ já investigava o tribunal
ter, 04/02/2014 – 18:45 – Atualizado em 05/02/2014 – 11:28
Luis Nassif
Atualizado às 09:10 com os seguintes dados:
Para o evento de lançamento da parceria TJBA-IDP, Gilmar levou Ayres Britto, presidente do STF e do CNJ, quando o TJBA já estava na mira do CNJ.
Aqui, uma provável explicação para mais um factoide criado pelo Ministro Gilmar Mendes.
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tem um belo pepino na mão.
Ontem, iniciou o que se anuncia uma “devassa” no Tribunal de Justiça da Bahia. Serão dois dias de trabalho intenso comandados pelo Ministro Francisco Falcão, cujo relatório definiu o afastamento, em novembro passado, do presidente do Tribunal, Mário Alberto Hirs (clique aqui).
Falcão foi firme nas suas declarações: “Vai ser apurado com todo o rigor. Doa a quem doer” (clique aqui).
Segundo o jornal “A Tarde”, Falcão ficou “espantado” com o que encontrou.
Além de suspeitas de vendas de sentença, de compras injustificadas, Falcão afirmou que “parece que a lei de licitações (na compra de serviços e produtos) jamais passou por aqui. (clique aqui).
É aí que se entra na parte complicada da história.
Um dos maiores contratos firmados por Hirs foi com o IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público) empresa que tem como proprietário o ex-presidente do CNJ Gilmar Mendes (clique aqui). quando o TJBA já estava na mira do CNJ.
É um contrato maiúsculo:
“A parceria prevê a implementação do Programa de Formação e Aperfeiçoamento de magistrados e servidores em 2012 e 2013. A ação dará continuidade ao trabalho realizado pelo Programa de Capacitação em Práticas Judiciárias, que capacitou 58 turmas, sendo 25 na capital e 33 no interior, contemplando um total de 2,4 mil servidores”.
Estima-se que deva passar dos R$ 10 milhões.
O contrato foi celebrado no dia 21 de abril de 2012 e visou capacitar os servidores para atender às exigência do proprio CNJ (clique aqui):
“um convênio para a capacitação de servidores e magistrados do judiciário baiano, em atenção à Resolução 126/2011 do CNJ, que criou o Plano Nacional de Capacitação Judicial (PNCJ), constituído pelo conjunto de diretrizes norteadoras das ações promovidas pelas Escolas Judiciais brasileiras na formação e aperfeiçoamento de magistrados e servidores do Poder Judiciário”.
Chama atenção o fato de que o Tribunal de Justiça da Bahia já estava desde 2011 sob a mira do CNJ (clique aqui). Em plena investigação, o TJBA fecha um contrato milionário com a empresa de um Ministro do Supremo e ex-presidente do CNJ.
No lançamento da parceria, Gilmar compareceu, na condição de Ministro do STF, e levou consigo Ayres Britto, presidente do STF e do CNJ (clique aqui).
NNessa mesma época, houve um litígio entre Gilmar e Inocêncio Mártires, seu então só

cio no IDP. Gilmar exigia pagamentos de viagens alegando que vários contratos do IDP foram conquistados graças ao seu prestígio (clique aqui). Nesse mesmo período, consegue R$ 8 milhões para comprar a parte do ex-sócio.
Na página do TJBA, foi retirado o link que permitiria ler o decreto (clique aqui). Mas sabe-se com certeza que foi assinado pelo mesmo desembargador Hirs, sob suspeita de não seguir a lei das licitações.
(…)
Clique aqui para ler o post original, com os links corretos.

ME AJUDE A CONTINUAR COMBATENDO ESSE TIPO DE BANDIDO

#GilmarLordVOLDEMORTEntenda nos links https://goo.gl/DE09WC http://goo.gl/H8nRhsDica de criação da imagem by Ana Lucia

Posted by Marcelo Bancalero on Domingo, 23 de agosto de 2015

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

SHARE THIS

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido