Magazine do Xeque-Mate

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Joaquim Barbosa está cagando e andando pra OEA?

Xeque -Marcelo Bancalero

A galera do contra está dizendo que... "Joaquim tá cagando e andando para OEA"
Sou obrigado a concordar com a frase,desde que a dividindo em 3 partes...
Explico...

Parte 1 - Cagando Joaquim Barbosa vem desde o início do julgamento e continua. Deve ser isso a motivação para o banheiro luxuoso construído por míseros de 90 mil do dinheiro público. (Ah... Já sei... Você não viu isso na mídia.... Então veja AQUI).

Parte 2 - Andando JB está sim! Mas não para onde queria...
Queria andar para a política, mas criticou tanto essa (Veja AQUI), que até a direita o rejeita hoje(Veja AQUI ), e o sonho de ser presidente foi por água abaixo. Quis andar nos palcos da mídia, mas quis brilhar mais que seus patrões e hoje anda no caminho do ostracismo.Veja mais sobre JB AQUI)
Parte 3- OEA  será o golpe fatal em Joaquim Barbosa! (Veja AQUI). Os direitos humanos foram absurdamente desrespeitados na AP 470(Veja AQUI, AQUI e AQUI), e Dirceu dá abertura a que outros possam recorrer também à essa corte e tenham enfim  a chance da justiça ser feita.
Leia também;
Mais um Habeas corpus a favor dos réus da AP 470, questiona atitudes de Joaquim Barbosa
Leia mais,

Dirceu recorre à OEA e pede novo julgamento do mensalão
Documento questiona a corte internacional sobre o fato de o ex-ministro ter sido julgado em instância única, o Supremo


A defesa do ex-ministro José Dirceu encaminhou ontem denúncia à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) – colegiado da Organização dos Estados Americanos (OEA) – questionando o fato de Dirceu ter sido julgado em instância única no processo do mensalão e pedindo um novo julgamento para o ex-ministro. Com a iniciativa, já são quatro os condenados no mensalão que recorreram ao órgão internacional.

O documento de 36 páginas afirma que “não restou alternativa” à defesa senão recorrer à CIDH contra o fato de Dirceu ter sido julgado unicamente pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no mensalão, desrespeitando o chamado duplo grau de jurisdição – a garantia de que qualquer pessoa condenada pode recorrer a um juiz ou tribunal superior.


Tese

Para reforçar a tese de que o ex-ministro foi prejudicado, os advogados chegam a citar na denúncia uma decisão do presidente do STF, Joaquim Barbosa, no inquérito do mensalão mineiro – escândalo envolvendo desvio de recursos para a campanha à reeleição de Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ao governo de Minas, em 1998.

Nela, Barbosa determinou o desmembramento da ação para que os réus que não dispusessem de prerrogativa de foro privilegiado fossem julgados em 1.ª instância. “Em decisão proferida nos autos do Inquérito n.º 2.280 – também de relatoria do Ministro Joaquim Barbosa – o qual tratava de fatos muito similares aos abordados nessa oportunidade, determinou o desmembramento do feito, diante do ‘número excessivo de acusados, dos quais somente 1 (um) – o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) detém prerrogativa de foro perante o Supremo Tribunal Federal”, diz o documento.

Para os advogados de Dirceu, a decisão no caso envolvendo políticos do PSDB “relembra os inúmeros precedentes em que o Supremo Tribunal Federal julgou apenas os cidadãos que ocupavam cargos públicos que justificassem o deslocamento de competência”. O próprio Eduardo Azeredo, que era réu do mensalão mineiro no STF, será julgado pela 1.ª instância em Minas após ter renunciado ao mandato de deputado federal.




License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido