Magazine do Xeque-Mate

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Número de novas empresas no Brasil bate recorde no primeiro semestre do ano, revela Serasa Experian

Xeque- Marcelo Bancalero

O setor de serviços continua atraindo a maior quantidade de novas empresas: no primeiro semestre de 2014, 557.741 companhias abriram suas portas, o equivalente a 59% do total. Em seguida, no acumulado do semestre, surgiram 295.482 empresas comerciais (31,3% do total) e, no setor industrial, foram abertas 79.410 empresas (8,4%) neste mesmo período

Nascimento de Empresas

Número de novas empresas no Brasil bate recorde no primeiro semestre do ano, revela Serasa Experian

29/07/2014 

De janeiro a junho de 2014 surgiram 944.678 novos empreendimentos. O número é o maior para o período, desde que o indicador foi criado, em 2010
Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas registrou a criação de 944.678 novas empresas no Brasil no primeiro semestre de 2014. O número representa um aumento de 4,3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 905.468 novos empreendimentos surgiram. O número deste ano também é maior do que o registrado no primeiro semestre de 2012 (com 893.034 novas empresas), de 2011 (794.179) e de 2010 (693.146).
290720141
Em junho deste ano, 149.350 novas empresas surgiram no Brasil, um decréscimo de 8,3% em relação a maio, quando 162.781 novos empreendimentos foram criados. De acordo com os economistas da Serasa Experian, a queda pode ser atribuída à Copa do Mundo e também a fatores sazonais relacionados ao mês de junho. Isso porque, entre os meses de maio e junho de 2013, o Indicador também apurou baixa de 9,2%, assim como no mesmo período de 2012 (-12,7%) e 2010 (-13,4%). Apenas em 2011 houve um ligeiro aumento de 1% no mês de junho em relação a maio.
A queda no nascimento de empresas em junho foi registrada em todos os segmentos: entre os Microempreendedores Individuais (MEIs), responsáveis por 72,3% dos novos empreendimentos, foram 109.499 novas empresas em junho, contra 115.497 em maio (queda de 5,2%). Já as Empresas Individuais registraram queda de 14,7% de um mês para o outro (14.762 em junho contra 17.296 em maio). As Sociedades Limitadas foram responsáveis pelo nascimento de 17.797 empresas em junho, contra 20.707 em maio (queda de 14,1%).
Nascimento de Empresas por Natureza Jurídica
Segundo o estudo, das 944.678 novas empresas criadas de janeiro a junho de 2014, 683.006 (72,3% do total) foram de Microempreendedores Individuais (MEIs), 113.254 (12% do total) de Sociedades Limitadas, 95.503 (10,1% do total) de Empresas Individuais e 52.915 (5,6% do total) de negócios de outras naturezas jurídicas. As MEIs vêm registrando aumento crescente de participação no nascimento de empresas desde o início da série histórica do Indicador, passando de 44% no primeiro semestre de 2010, para 72,3% no mesmo período deste ano.
290720142
Nascimento de Empresas por Região
O Sudeste – responsável por 51% do total de novas empresas – registrou o maior número de empreendimentos abertos no primeiro semestre de 2014, com 481.354 nascimentos. Em seguida, com 17,8% do total e 167.935 empresas, está a Região Nordeste. A Região Sul ocupa o terceiro lugar, com 154.684 empresas criadas nos seis primeiros meses de 2014 (16,4% do total), seguida pelo Centro-Oeste, com        90.431 empresas (9,6% do total). A Região Norte manteve o quinto lugar durante todo o semestre, com a criação de 50.275 empresas (5,3% do total).
290720143

Em comparação com o mesmo período do ano passado, a Região Sudeste registrou o maior aumento no nascimento de empresas durante o primeiro semestre de 2014 (alta de 7%), seguida do Nordeste (com aumento de 2,6%), Centro-Oeste (com 2,2%) e Sul (com 1,5%). A região Norte acusou um decréscimo no nascimento de empresas de 1,6% em relação a igual período do ano passado.
Nascimento de Empresas por Setor
O setor de serviços continua atraindo a maior quantidade de novas empresas: no primeiro semestre de 2014, 557.741 companhias abriram suas portas, o equivalente a 59% do total. Em seguida, no acumulado do semestre, surgiram 295.482 empresas comerciais (31,3% do total) e, no setor industrial, foram abertas 79.410 empresas (8,4%) neste mesmo período.
290720144

Ao longo dos últimos cinco anos, nota-se o aumento na participação das companhias de serviço no total de empresas que nascem no país. No primeiro semestre de 2010, elas representavam 53,1% do total e no primeiro semestre de 2014 já são 59%.
Por outro lado, a participação do setor comercial recuou nos últimos anos: de 35,4% nos seis primeiros meses de 2010 para 31,3% no mesmo período deste ano. Já a participação das novas empresas industriais se mantém estável, variando pouco: de 8,5% no primeiro semestre de 2010 para 8,4% de janeiro a junho de 2014.
Análise dos MEIs por Ramo de Atividade
Desde a Lei Complementar 128/2008, a participação dos Microempreendedores Individuais (MEIs) tem crescido dentro do universo de novas empresas que são constituídas no país, respondendo hoje por cerca de 2/3 do total. Assim, é relevante identificarmos quais ramos de atuação concentram as maiores taxas de surgimento de Microempreendedores Individuais (MEIs).
O gráfico a seguir exibe o ranking dos 20 ramos econômicos que concentraram o nascimento de novos Microempreendedores Individuais nos primeiros seis meses deste ano. Os dados mostram que dos 683.006 Microempreendedores Individuais (MEIs) surgidos no primeiro semestre de 2014, 75.963 são comércios de confecções em geral (11,3% do total dos MEIs). Em seguida, registra-se a criação de 62.566 novos MEIs no ramo de reparação e manutenção de prédios e instalações elétricas (9,3% do total). Na sequência estão 62.170 novos MEIs de serviços de higiene e embelezamento (9,2% do total). Os serviços de alimentação ocupam a quarta posição no ranking dos novos MEIs (9%), com 60.303 empreendimentos. Vale notar que esses quatro ramos concentraram quase 40% de todos os MEIs criados durante o primeiro semestre de 2014.
Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas 
% dos MEIs por Ramo de Atividade
290720145
Análise das empresas por Ramo de Atividade
Além dos MEIs, existem ainda outras modalidades de empresas visadas pelos empresários na hora de definir qual será o ramo de atuação dos novos empreendimentos.
Os dados mostram que, entre as 944.678 novas empresas nascidas no último semestre, 88.183 são do ramo de comércio de confecções em geral (9,3% do total), seguidos por 77.402 novos empreendimentos do ramo de serviços de alimentação (8,2% do total, segundo maior interesse – contra a quarta ocupação em se tratando de MEIs). O setor de reparação e manutenção de prédios em instalações elétricas vem em seguida, com 70.073 novas empresas (7,4%), acompanhado por 65.371 novos empreendimentos do ramo de serviços de higiene e embelezamento pessoal (6,9% do total) e 37.308 novas empresas de comércio varejista de gêneros alimentícios (3,9%). Diferentemente das MEIs, que com apenas quatro ramos concentram aproximadamente 40% de todos os novos empreendimentos, o ranking de todas as empresas dá prioridade a cinco ramos, que concentram cerca de 30% dos novos estabelecimentos.
Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas
% das Empresas por Ramo de Atividade
290720146
Metodologia do estudo sobre Nascimento de Empresas
Para o levantamento do Nascimento de Empresas foi considerada a quantidade mensal de novas empresas registradas nas juntas comerciais de todas as Unidades Federativas do Brasil bem como a apuração mensal dos CNPJs consultados pela primeira vez à base de dados da Serasa Experian.
Serasa Experian
A Serasa Experian é líder na América Latina em serviços de informações para apoio na tomada de decisões das empresas. No Brasil, é sinônimo de solução para todas as etapas do ciclo de negócios, desde a prospecção até a cobrança, oferecendo às organizações as melhores ferramentas. Com profundo conhecimento do mercado brasileiro, conjuga a força e a tradição do nome Serasa com a liderança mundial da Experian. Criada em 1968, uniu-se à Experian Company em 2007. Responde on-line/real-time a 6 milhões de consultas por dia, auxiliando 500 mil clientes diretos e indiretos a tomar a melhor decisão em qualquer etapa de negócio. É a maior Autoridade Certificadora do Brasil, provendo todos os tipos de certificados digitais e soluções customizadas para utilização da tecnologia de certificação digital e de Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), tornando os negócios mais seguros, ágeis e rentáveis.
Constantemente orientada para soluções inovadoras em informações para crédito, marketing, identidade digital e negócios, a Serasa Experian vem contribuindo para a transformação do mercado de soluções de informação, com a incorporação contínua dos mais avançados recursos de inteligência e tecnologia.
Para mais informações, visite www.serasaexperian.com.br
Experian
A Serasa Experian é parte da Experian, líder mundial em serviços de informação, fornecendo dados e ferramentas de análise a clientes ao redor do mundo. O Grupo auxilia os clientes no gerenciamento do risco de crédito, prevenção a fraudes, direcionamento de campanhas de marketing e na automatização do processo de tomada de decisão. A Experian também apoia pessoas físicas na verificação de seus relatórios e scores de crédito e na proteção a fraudes de identidade.
A Experian plc está registrada na Bolsa de Valores de Londres (EXPN) e compõe o índice FTSE 100. A receita total para o ano fiscal encerrado em 31 de março de 2014 foi de US$ 4,8 bilhões. A empresa emprega cerca de 16.000 pessoas em 39 países e possui sede corporativa em Dublin, na Irlanda e sedes operacionais em Nottingham, no Reino Unido; na Califórnia, Estados Unidos, e em São Paulo, Brasil.
Para mais informações, visite http://www.experianplc.com




Veja mais o que Dilma disse na sabatina UOL

“MANTIVEMOS OS EMPREGOS MESMO NA CRISE MUNDIAL. ESTAMOS PRONTOS PARA DAR O PRÓXIMO SALTO NA ECONOMIA”

Por: Equipe Dilma Rousseff - 


A presidenta Dilma participou na tarde desta segunda-feira (28/07) da sabatina que o UOL, Folha, Jovem Pan e SBT estão fazendo com os principais candidatos à presidência da República. Assista acima à íntegra do primeiro bloco da sabatina.
Dilma respondeu a perguntas sobre economia, combate à corrupção, Bolsa Família, Mais Médicos, entre outros temas. Foi uma conversa da presidenta com quatro jornalistas que mostrou que é possível falar de política de maneira franca e sem ataques pessoais.
Assista aqui à íntegra do segundo bloco da sabatina.

Abaixo, leia algumas frases que destacamos:

MAIS MUDANÇAS, MAIS FUTURO
“Mudança não é uma autocrítica do passado, você não faz mudança porque errou, faz porque tem que sempre querer melhorar”
COMBATE À CORRUPÇÃO

“Melhorar instituições para combater a corrupção é essencial. Demos autoridade para a CGU (Controladoria Geral da União) e todos os instrumentos para ela atuar. Transformamos a prática da Polícia Federal em uma prática respeitada. Aprovamos a lei de acesso à informação e criamos o Portal da Transparência”.

“Não tolero, não compactuo e não aceito corrupção de nenhuma espécie”.

“Fomos o único governo que teve pessoas condenadas durante a sua gestão. Tivemos situações muito difíceis, mas enfrentamos com muita força”.

ECONOMIA
“O mesmo pessimismo que ocorreu com a Copa está havendo com a economia brasileira. E com a economia é mais grave, porque a economia é feita de expectativa”.
“Mantivemos os empregos mesmo na crise mundial. Estamos prontos para dar o próximo salto na economia”.

“Não é uma luta de classes. Todo mundo ganhou. Mas é fato que os mais pobres ganharam mais.”

“Impedimos que a população pagasse o pato da crise”

INFRAESTRUTURA

“Para dar o próximo salto e se preparar para o momento de retomada, temos que investir profundamente em infraestrutura. Teremos, ao fechar este ano, o momento em que mais se investiu em infraestrura na nossa história”

CONFLITO NO ORIENTE MÉDIO

“Fomos o primeiro país do mundo a reconhecer o Estado de Israel. E somos, ali na região, a favor dos dois estados. A ONU está completamente certa de exigir um cessar fogo imediato. É uma atitude altamente humanitária.”

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido