Magazine do Xeque-Mate

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Dilma na CNI diz que Aécio defendeu fim de incentivos industriais

Xeque - Marcelo Bancalero 
Sem comentários Dilma já diz tudo aqui...
Ao elencar os estímulos que o governo federal está provendo ao setor industrial, a Presidenta  Dilma Rousseff (PT) fez sua única crítica aberta ao candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves (PSDB). Segundo a presidente, o tucano defendeu o fim dos programas.
Assista aos vídeos na sequência da Play list e leia os artigos;


Dilma: há uma “conspiração” contra os financiamentos públicos do governo federal

Presidenta participou do evento “Diálogo da Indústria com Candidatos à Presidência da República nesta quarta
Dilma: “as críticas se originam dos mesmos que criticam desonerações, compras governamentais e a existência da política industrial”.
A presidenta Dilma Rousseff afirmou, nesta quarta-feira (30), existir uma conspiração contra os  financiamentos públicos concedidos pelo governo federal. Para ela, há  propostas pelas quais o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal deixariam de financiar a atividade industrial no País.
“É fato que muitos conspiram aberta e envergonhadamente contra o financiamento público”, afirmou Dilma durante o “Diálogos da Indústria com candidatos à Presidência da República”, promovido pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI).
“As críticas se originam dos mesmos que criticam desonerações, compras governamentais e a existência da política industrial”, completou.
Mais cedo, falaram à plateia formada por empresários os candidatos à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).
A presidenta participou do evento acompanhada do vice Michel Temer e defendeu as políticas econômica e de incentivo à indústria mantidas em seu governo. Ela garantiu que, com elas, o País entrará em um novo ciclo histórico.
“Estamos construindo uma base sólida. Vamos entrar num novo ciclo: o ciclo de produtividade competitiva”, explicou a presidenta.
“Temos a menor taxa de juros da história recente da República, mesmo com tudo que enfrentamos nos últimos tempos”, completou.
Em coletiva após a sabatina, Dilma foi questionada sobre as propostas dos candidatos Aécio Neves e Eduardo Campos de reduzir a quantidade de ministérios do governo federal, Dilma citou as funções das pastas da Pesca, Igualdade Racial, Mulheres e Direitos Humanos, por exemplo, e ironizou as sugestões.
“Qual é o ministério que eles querem acabar? Me diga qual é que eu discuto concretamente”, respondeu a presidenta.
Indústria naval - Dilma destacou que a experiência do Brasil com a indústria naval mostrou a capacidade e potencialidade da política de compras governamentais, que deve servir de modelo para uma possível política da indústria brasileira.
“Quem sempre defendeu e executou uma política industrial, pode assumir o compromisso de fazer mais pela indústria”, garantiu.
Reformas – Para a presidenta, as reformas política e tributária são fundamentais e quesitos prioritários para o desenvolvimento do Brasil. “Nós tentaremos a reforma tributária de forma abrangente. Iremos perseguir essa reforma mesmo quando a conjuntura não for favorável”, explicou Dilma.
Sobre a reforma política, ela voltou a defender a participação da sociedade, através de um plebiscito popular.
“Daremos absoluta prioridade à reforma do Estado. É necessário simplificar o processo e redefinir nossos padrões, desburocratizar, simplificando, a relação do Estado com o cidadão e as empresas”.
Além disso, Dilma afirmou ser preciso simplificar as relações trabalhistas e ampliar o diálogo entre empresários, trabalhadores e governo.
Por Mariana Zoccoli, da Agência PT de Notícias

Dilma diz que Aécio defendeu fim de incentivos industriais

·        
Diogo Alcântara
Direto de Brasília
Ao elencar os estímulos que o governo federal está provendo ao setor industrial, a presidente Dilma Rousseff (PT) fez sua única crítica aberta ao candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves (PSDB). Segundo a presidente, o tucano defendeu o fim dos programas.
 
“Teve candidato que defendeu parar de dar incentivos para a indústria”, disse em sabatina à Folha de São Paulo, UOL, Jovem Pan e SBT. Indagada especificamente se estava se referindo a Aécio Neves, Dilma confirmou. “Sim. Eu quero saber como é que a indústria 

http://goo.gl/qtaQlx









Assista aos vídeos do Canal Quero+Brasil do You Tube https://www.youtube.com/channel/UCAjh8K4pKjKy61_7QMRfC4A não se esqueça de inscrever-se no Canal 

E por favor!
Meus dias estão contados aqui...
Sem condições financeiras, em breve estarei fora da internet!
Preciso de sua ajuda para continuar meu trabalho pois +Quero Mais Brasil




Se como eu você diz aos seus seguidores Quero + Brasil um Brasil de Verdade e Em 2014 Sou Mais Dilmais com postes de Lula pelo Brasil ajude-nos a continuar nossa luta!
Você pode fazer isso com deposito para Marcelo Bancalero Conta CAIXA ECONÔMICA ag. 2196 operação 023 c/c 00004488-3
 — com Marcelo Xeque Mate Bancalero.
ou pelo Pag Seguro UOL em pode usar o link do Pag Seguro clicando no botão Doar com Pag Seguro na coluna à direita no blog

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

SHARE THIS

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido