Magazine do Xeque-Mate

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Embaixador dos EUA culpa jornal O Globo, por sensacionalismo em notícias sobre o monitoramento do Tio Sam

Xeque - Marcelo Bancalero

Até os americanos e o mundo  podem ver o que a mídia e a oposição teimam em negar!
O Brasil está em pleno crescimento!
Por mais que os urubólogos de plantão, façam previsão de queda da economia, de que a inflação está descontrolada, e queiram manipular a opinião pública para impedir o PT de continuar no governo...

E a previsão de analistas do mundo é que vamos chegar rapidamente à 5ª economia mundial!
Podemos ver isso em um vídeo  da reportagem da 60" Minutes que está no final dessa postagem no Blog, uma edição menor que a original, pois tinha tucano infiltrado dando suas opinião no final.
Dica da amiga Sirley Lima
Oras...
Isso explicaria o interesse dos EUA em monitorar nosso país!
Mas Dilma resolveu se manifestar e acabar com isso. Assim, na manhã de domingo, medidas contra a suposta espionagem do Tio Sam!
Já o embaixador dos EUA, Thomas Shannon, deu uma bronca nas entrelinhas na mídia, e  disse hoje (8) que as informações publicadas sobre o monitoramento de informações de brasileiros pelo governo americano apresentaram uma imagem “que não é correta”  " ... Infelizmente, os artigos de O Globo apresentaram uma imagem do nosso programa que não é correta, então estamos trabalhando com os brasileiros para contestar suas [dos artigos] perguntas”, disse Shannon.
Agora não sabemos se o comp@ Ministro Paulo Bernardo acreditou!
Tarefa  difícil para ele, escolhe entre o PIG e o Tio Sam
Mas leia os artigos e decida você mesmo em quem acreditar...
Tio Sam ou PIG...
Quem mente melhor?



Dilma reage à arapongagem dos EUA com o Itamaraty, Polícia Federal, Ministério das Comunicações e Anatel

Na reunião pela manhã de domingo (7) com ministros, no Palácio da Alvorada, a presidenta Dilma aprovou uma série de medidas contra a suposta espionagem das mensagens eletrônicas e telefonemas de empresas e pessoas brasileiras por parte do governo dos Estados Unidos.

Após a reunião, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, falou à imprensa sobre as providências. Disse que já vinha acompanhando o caso (desde as primeiras revelações do ex-técnico em segurança digital da CIA - agência de inteligência norte-americana - Edward Snowden), "mas agora a história mudou de patamar", afirmou. Depois o Itamaraty soltou uma nota à imprensa.

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, interpelou o governo estadunidense por intermédio da Embaixada do Brasil em Washington, assim como ao Embaixador dos Estados Unidos no Brasil.

O governo brasileiro promoverá no âmbito da União Internacional de Telecomunicações (UIT) em Genebra, o aperfeiçoamento de regras multilaterais sobre segurança das telecomunicações.



O Brasil lançará nas Nações Unidas iniciativas com o objetivo de proibir abusos e impedir a invasão da privacidade dos usuários das redes virtuais de comunicação, estabelecendo normas claras de comportamento dos Estados na área de informação e telecomunicações para garantir segurança cibernética que proteja os direitos dos cidadãos e preserve a soberania de todos os países.

Outra providência deverá ser uma investigação feita pela Polícia Federal.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai interpelar as empresas de telecomunicações que atuam no País se há troca de informações com empresas estadunidenses. Segundo o jornal O Globo, esse seria o caminho para a Agência Nacional de Segurança (NSA) do governo estadunidense ter acesso a informações de telefonemas e dados do Brasil.

Bernardo considera mais provável que a suposta espionagem tenha ocorrido no trânsito das informações nos cabos submarinos, cujos entroncamentos, em sua maioria, passa por território estadunidense. "Se você faz uma ligação para o Japão, ela passa pelos Estados Unidos", explicou.

Outra providência do governo será pedir ao Congresso prioridade e celeridade na votação do marco civil da Internet.

O Ministério da Justiça também está concluindo um anteprojeto de lei que melhorará a proteção de dados individuais.

O ministro das Comunicações considera essas duas medidas no campo legislativo importantes, mas de alcance limitado. "A Internet é comandada por uma empresa privada norte-americana sediada na Califórnia", comentou. Assim, nem todas as normas aprovadas aqui teriam validade para serviços na rede. "Isso não está certo."

O governo brasileiro defende a criação de um organismo internacional para regular a rede mundial de computadores. Esse é um dos debates que o Itamaraty pretende levantar nas Nações Unidas. (Com informações da Ag. Estado e Itamaraty)

Embaixador dos EUA: informações sobre monitoramento de brasileiros fazem imagem incorreta do programa de inteligência

08/07/2013 - 16h41
Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil
Brasília - O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, disse hoje (8) que as informações publicadas sobre o monitoramento de informações de brasileiros pelo governo americano apresentaram uma imagem “que não é correta” sobre o programa de inteligência dos Estados Unidos. Shannon reuniu-se na tarde de hoje com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, para discutir o assunto e disse que o governo americano está “contestando as preocupações do governo do Brasil”.
“Temos um excelente nível de cooperação com o Brasil na área de inteligência e também na área policial. Infelizmente, os artigos de O Globo apresentaram uma imagem do nosso programa que não é correta, então estamos trabalhando com os brasileiros para contestar suas [dos artigos] perguntas”, disse Shannon.
Reportagem publicada ontem (7) pelo jornal O Globo revelou que as comunicações do Brasil estavam entre os focos prioritários de monitoramento pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês), segundo documentos divulgados pelo ex-agente norte-americano Edward Snowden. Os dados eram monitorados por meio de um programa de vigilância eletrônica altamente secreto chamado Prism.
O embaixador não respondeu às perguntas dos jornalistas sobre a veracidade das informações sobre o monitoramento dos dados dos brasileiros. Ele disse que se reuniu com a Secretaria-Geral do Itamaraty e deverá encontrar-se ainda hoje com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI), general José Elito Carvalho Siqueira.
Edição: Fábio Massalli
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido