Magazine do Xeque-Mate

domingo, 25 de novembro de 2012

Joaquim Barbosa cuspiu na mão que beijou?

Xeque - Marcelo Bancalero

Coisas do destino?
Ou quem sabe armações?
Sei lá...



Mas ao ver  essa noticia  sobre o pedido de Joaquim Barbosa, lembrei de outro "paladino da justiça", que pediu e não recebeu a mesma coisa. 
Demóstenes Torres. Que queria ser secretário nacional da justiça e teve o pedido  barrado por José Dirceu (Graças a Deus). E assim , começou a busca desenfreada por vingança do mesmo com a ajuda do padrinho Cachoeira.
Veja o outro vídeo pra entender;
Agora, Demóstenes  sente-se vingado na pessoa de JB, que acaba aceitando as manipulações da Veja e o Gurgel.
José Dirceu devia ter barrado JB também. 
Acredito que  teria feito isso se soubesse que se tratava de um enrustido, falso humilde, e que usa a condição de negro, pobre não para  vencer na vida e proporcionar justiça às classes de que fez parte, mas para  buscar vingança à sociedade que o fez sofrer.
Ai vem uns idiotas  que se transvestem de jornalistas, mas cujo textos  são  parte da lixoteratura dessa mídia bandida, questionam por que Dilma sentia-se indisposta diante de JB em sua posse, como pode se ver  também em Brasil 247 no artigo O ENCONTRO DE DILMA E JOAQUIM, SEGUNDO AUGUSTO NUNES
Pior seria se ela não tivesse  comparecido, ai as noticias seriam outras mais "calientes" desse PIG bandido. Dilma sentiu-se mal, em ver assumir a presidência do supremo um  homem (independente de sua cor, religião ou preferências pessoais), que sendo ministro do STF, ignorou provas verdadeiras que a blogosfera já mostrou, aqui no Xeque-MateNoticias, no Megacidadania, Revista Retratos do Brasil e muitos outros que se uniram à essa luta, que  não existem bases para  incriminar Henrique Pizzolato. 
E sem o Pizzolato não tem mensalão!
Agora, que  a CPMI do Cachoeira  começa  a deixar Gurgel com a pulga atrás da orelha e  tucanos alvoroçados clamando por coisas malucas e absurdos! Eles tentam de tudo, até  volta da Caça ao Lula e Dilma com novos casos agora como o de Rosemary  e até  desenterrando notícias velhas a tal sopa requentada do PIG.
É isso...
A gente não pode esmorecer, baixar a guarda!
Fiquei dois dias  meio fora da net, e vejam só...
Ao retornar, quantas coisas pra fazer, quanta vacina a gente tem que criar para combater estes vírus midiáticos do PIG que  tentam  criar uma doença social cujos sintomas que eles esperam criar sejam danosos para as próximas eleições em 2014.
Não é mesmo hora de  nos calar, a bonança está muito longe companheiros.
Temos de manter a bandeira em uma das mãos e a espada afiada da caneta (microfone, teclado, ou todas as formas de expressão), na outra.

KAKAY SOBRE JOAQUIM BARBOSA: "UM INFELIZ"

Sergio Lima/Folhapress

Um dos advogados mais conhecidos de Brasília, Antonio Carlos de Almeida Castro, que defendeu Duda Mendonça na Ação Penal 470 e foi um dos poucos vitoriosos no julgamento, quebra a unanimidade em torno de Joaquim Barbosa. "Ninguém é duro desse jeito sendo feliz", disse ele, que ofereceu jantar a José Dirceu e contou que, para chegar ao STF, o primeiro presidente negro teve antes que pedir a benção ao ex-ministro da Casa Civil
25 DE NOVEMBRO DE 2012 ÀS 07:00
247 - Antes de ser indicado ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa soube que o então presidente Lula buscava um candidato negro para indicar à mais alta corte do País. Barbosa já conhecia Frei Betto, amigo do ex-presidente, e conseguiu que seu nome fosse incluído na lista de possíveis nomes, submetida também ao ministro da Justiça daquela época, Marcio Thomaz Bastos. Essa costura, no entanto, não era suficiente. E ele então procurou o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, um dos mais notórios de Brasília, conhecido como Kakay, para que providenciasse um encontro com José Dirceu.
A história está revelada na edição deste sábado do jornal O Globo, pelo próprio Kakay. "Ele me procurou e disse que era um sonho seu chegar ao Supremo e que precisava do apoio do Zé Dirceu", afirmou o advogado à repórter Maria Lima. Kakay disse que, antes de providenciar o encontro, foi ao ex-ministro da Casa Civil. "Eu vou recebê-lo, mas nós temos que mudar a forma de indicação dos ministros do Supremo Tribunal Federal. Um pretendente ao STF não pode ter que pedir apoio a um ministro da Casa Civil, até porque, em tese, ele terá  que nos julgar no futuro. Isso não é bom para o País", disse Dirceu, segundo o relato de Kakay.
A profecia foi realizada e Barbosa liderou a condenação de Dirceu a dez anos e dez meses de prisão, por corrupção ativa e formação de quadrilha. Kakay não se surpreendeu. "Não esperávemos que fosse diferente. Joaquim, desde o Ministério Público é esse cara infeliz, preocupado em manter essa postura de salvador da pátria. Ninguém é duro desse jeito sendo feliz. Eu só achava que ele seria mais gentil com seus pares", disse Kakay, que foi um dos poucos advogados vitoriosos do mensalão – ele defendeu Duda Mendonça, que foi inocentado.
Dias atrás, Kakay ofereceu um jantar a José Dirceu, onde os dois teriam até se divertido ao comentar os votos de alguns ministros. Ontem, o ex-ministro participou de um ato do PT em Osasco, onde defendeu o "julgamento do julgamento"


License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido