Magazine do Xeque-Mate

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Extradição de Pizzolato é suspensa até dia 23 e senadores italianos tentam impedi-la de fato

Xeque - Marcelo Bancalero

Um outro motivo para que Pizzolato permaneça na Itália, onde poderá ter a seu favor, uma justiça que não seja pressionada pela mídia e não se renda a sedução dos telejornais e capas de revista, como se faz aqui... 
E que por lá, parece que ele está tendo mais apoio do que aqui, no que diz respeito a parlamentares.
Aqui poucos tiveram a ousadia de defende-lo nas tribunas, salvo o agora ministro Ricardo Berzoini,(relembre aqui http://goo.gl/lp51GD ) não me lembro de mais ninguém..
Já na Itália...
Faz com que eu me pergunte "cá com os meus botões"...
Por que?
Por que Henrique Pizzolato foi lançado aos leões, enquanto seus companheiros assistiam calados?

Senadores italianos tentam impedir extradição de Henrique Pizzolato
Parlamentares da Itália fizeram apelo nesta terça-feira ao ministro da Justiça 
Os senadores italianos Cecilia Guerra e Luigi Manconi fizeram um apelo nesta terça-feira (16) para que o ministro da Justiça, Andrea Orlando, evite a extradição ao Brasil do ex-diretor de Marketingdo BB Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão.

"Já foi comprovada que a condição das prisões brasileiras é desumana. As garantias do Brasil não bastam e não devem ser suficientes", disse Manconi, que é presidente da Comissão de Proteção dos Direitos Humanos do Senado italiano.

Nesta terça-feira (16), a mulher de Pizzolato, Andrea Haas, e seus advogados disseram que o processo judicial do mensalão teve motivação política e que o ex-direitor de Marketing foi usado como "bode expiatório". Ontem, o Conselho de Estado da Itália suspendeu pela terceira vez a extradição de Pizzolato.

Em audiência, os juízes aceitaram um recurso da defesa e agendaram para o próximo dia 23 uma nova sessão para decidir o futuro do brasileiro, que tem cidadania italiana. O governo italiano havia autorizado a repatriação de Pizzolato a partir de ontem, quando começaria a correr um prazo de 20 dias para as autoridades brasileiras buscarem o condenado.

A defesa de Pizzolato alegou que seu cliente seria enviado para a "ala de vulneráveis" do presídio da Papuda, em Brasília, e que isso feriria a legislação e as garantias de segurança dadas pelo Brasil. O ex-diretor do Banco do Brasil foi condenado a 12 anos e sete meses de detenção por crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato. Após a sentença, Pizzolato fugiu para a Itália, onde foi preso por portar documentos falsos. Desde fevereiro de 2014, o Brasil tenta extraditá-lo para que cumpra a pena no País.







Nesta data, Conselho de Estado da Itália julgará um novo recurso da defesa do ex-diretor do Banco do Brasil
Xeque - Marcelo Bancalero
Nossa esperanças continuam.
Saiba mais  aqui  http://goo.gl/Ko6Eo6

Tradução Google






Pizzolato, o Conselho de Estado suspende extradição


License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

SHARE THIS

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido