Magazine do Xeque-Mate

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Apoiamos uma CPI no Congresso Para apurar se Pizzolato tem conta na Itália

Xeque- Marcelo Bancalero

Nós acreditamos tanto na inocência de Henrique Pizzolato,que chegamos a extremos...

Primeiro fizemos uma campanha para que o dinheiro que dizem, foi desviado do Banco do Brasil, seja devolvido
Assim, o STF e o Banco do Brasil podem entrar num consenso,e explicar onde está apontado esse tal desvio.
Agora,damos apoio total para uma CPI que explique que conta é essa que a mídia divulgou,e que segundo eles, Pizzolato movimentou.
É imprescindível que as coisas sejam esclarecidas!
Esconder Pizzolato dos noticiários enquanto ele estava aqui era fácil, agora, na Itália, onde a qualquer momento ele colocará nas mãos da justiça italiana,o dossiê com todas as provas que foi impedido de usar aqui...Ai é outra coisa.

Que bom que está provado que Pizzolato está na Itália...
Que bom que a justiça brasileira já determinou que o STF, envie para a Itália, o processo da AP 470, para que Pizzolato seja julgado por lá!
Leia mais;



‘Mensalão’: CPI no Congresso pode apurar se Pizzolato tem conta na Itália

21/1/2014 18:58
Por Redação - do Rio de Janeiro e Brasília
Pizzolato argumenta que há provas no processo, capazes de inocentá-lo integralmente dos crimes a que foi condenado no relatório de Joaquim Barbosa
Pizzolato argumenta que há provas no processo, capazes de inocentá-lo integralmente dos crimes a que foi condenado no relatório de Joaquim Barbosa
A fuga do ex-diretor do Banco do Brasil (BB) Henrique Pizzolato para a Itália, após ser condenado a 12 anos e 7 meses de prisão no Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e peculato, “tem sido alvo de especulações demais e fatos de menos”, afirma o editor do blog Megacidadania, Alexandre Cesar Costa Teixeira. Autoridades brasileiras e da Suíça, segundo informou o diário conservador paulistano O Estado de São Paulo, na véspera, estariam investigando a existência de uma conta milionária, movimentada recentemente porPizzolato.
Para que os fatos sejam esclarecidos, Teixeira defende a instalação de uma CPI no Congresso, capaz de “investigar por qual motivo a Procuradoria Geral da República e o Ministério Público Federal (PGR/MPF), que fez crer a todos ter realizado minuciosa investigação, não registrou nos autos do processo da Ação Penal (AP) 470 a existência desta conta”.
– Assim agindo todos saberão a origem dos recursos que abasteceu a tal conta secreta na Suíça. É dever da oposição fazer um amplo abaixo assinado exigindo a instalação desta CPI. É dever dos partidos de apoio ao governo exigirem a instalação desta CPI. É dever dos cidadãos de bem exigirem a instalação desta CPI. É dever da OAB exigir a instalação desta CPI – reitera.
Segundo dados levantados pela reportagem do Correio do Brasil junto a fonte no MPF, que falou sob a condição de anonimato, há mais tons de cinza neste processo do que imaginam os leitores. A começar pela fuga de Pizzolato, que teria entrado na Itália por uma das fronteiras secas apenas com sua identidade italiana, sem que as autoridades vissem qualquer problema no trânsito de um dos cidadãos daquele país.
– Embora tenha sido recolhido pela Polícia Federal, o passaporte de Pizzolato permanecia no Brasil até semana passada. Formalmente, a República Italiana ainda não sabe que Pizzolato foi condenado. Não houve qualquer informação legal nesse sentido – afirmou a fonte ao CdB.
Não bastasse esse “descuido das autoridades brasileiras”, como reparou a fonte, Pizzolato porta um dossiê no qual garante a inexistência de dinheiro público no caso que se notabilizou como ‘mensalão’. Para provar o que afirma, o ex-diretor do BB lança mão de uma série de documentos inclusos em um inquérito do STF, protegido por sigilo judicial, que significaria uma reviravolta na AP 470, na qual não apenas Pizzolato, mas o ex-ministro José Dirceu, o ex-deputado José Genoíno e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares foram condenados a pesadas multas e penas de restrição de liberdade.
Além do passaporte, que não teria chegado às autoridades italianas, “o relator Joaquim Barbosa não enviou, ainda, para a Itália, a íntegra da AP 470, para que Pizzolato seja julgado por lá, conforme estabelece o tratado de extradição entre os dois países”, disse.
‘Gavetão’
Em seu blog, Teixeira afirma que uma CPI sobre a conta milionária na Suíça precisaria “esclarecer acerca dos documentos ocultados ou, quem sabe, arguir os motivos da existência de um inquérito ainda sigiloso, o 2474, o famoso ‘gavetão”.
– Acusam e não comprovam. É dever de todos que combatem a corrupção exigir a instalação desta CPI. É dever da velha mídia empresarial exigir a instalação desta CPI. É dever da blogosfera exigir a instalação desta CPI – insiste Teixeira.
Segundo o jornal paulistano, “suspeita-se que a conta aberta num banco suíço teria saldo de quase 2 milhões (sem precisar em que moeda). Ela foi movimentada após a fuga de Pizzolato, há cerca de dois meses, segundo investigadores brasileiros e suíços. O saldo, contudo, não está zerado”.
Ainda segundo o diário conservador, sem citar a fonte, “para o governo brasileiro a conta no exterior mostra que a fuga de Pizzolato foi ‘muito bem planejada’. A Polícia Federal já tem certeza de que o ex-diretor do BB foi mesmo para a Itália, mas não tem recebido cooperação da polícia do país europeu, única que poderia aprofundar as investigações sobre o seu paradeiro”.


License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido