Magazine do Xeque-Mate

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Teori Zavascki, Luís Roberto Barroso, fizeram a verdadeira chicana... E temos mais dois domesticados por Joaquim Barbosa

Xeque- Marcelo Bancalero

Eu sou um homem de fé...
Acredito muito que as coisas vão se resolver de alguma forma...
Posso até ser criticado por acreditar em milagres...
Mas não vejo outra forma das coisas acontecerem se não for por esta via...

Hoje  na minha igreja o pastor ao pregar citou um versículo, que eu embora conhece-se havia esquecido de praticar...
"Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!"
Jeremias 17:5"


Pois é...
Eu havia colocado minha confiança nos dois novos ministros, Teori  Zavascki, Luís Roberto Barroso...
Em Barroso, confiei na sua hombridade, e que suas atitudes seriam coerentes com suas palavras...
Acabei me enganando.

Lewandowski pelo contrário,  manteve-se íntegro, entendeu que foi levado a cometer erros, e está disposto a repará-los. Ele lembrou a Barroso, que os réus  estão em última instância e destruiu os argumentos usados por este para não se manifestar. 


Um ministro que diz, que se pudesse rever o julgamento, o faria de maneira contrária ao que foi feito pelo plenário, que diz que viu contradições  nos embargos de um réu, mas pra não ficar chato,acha melhor não votar com Lewandowski, mesmo enaltecendo suas atitudes... E pra não ir contra o plenário vota com Joaquim Barbosa... 
Fala sério!
Abstenha-se então de votar!
Por que, Lewandowski não estava só! Com ele votaram Marco Aurélio Mello e Dias Toffoli...
E se o ministro Barroso não tivesse se acovardado, talvez outros ministros tivessem feito o mesmo!
Teori Zavascki por exemplo, votou seguindo Barroso... Evidente que se Barroso dita a regra ao votar primeiro, que ir contra o que JB decidiu é errado... Quem é ele para dizer o contrário?

Assim, os dois em quem clocamos nossa confiança, foram domesticados por JB...

A Atitude de Barroso, fortalece as dúvidas em sua ética profissional, quanto ao comentário  de Paulo Nogueira do Diário do Centro do Mundo que diz que ele foi advogado do órgão de lobby da Globo, a Abert.

Agora eu pergunto...
Pode isso?
Pode um ministro dizer ao vivo que viu um erro, mas não querer fazer nada?
Essa atitude mostra que Barroso é sim pautado por terceiros!
Seja a pressão popular, seja pressão de JB, ou seja o que for...
Ele deixou isso bem claro!

A mídia editou bem as imagens que ainda não foram liberadas para que nós, blogueiros pudéssemos também usá-las...
E fez a festa!
Espumando veneno pelo canto da boca, aproveitaram para como Joaquim Barbosa já o tinha feito, ter orgasmos múltiplos de prazer ao falarem que não há chances de modificarem os resultados do linchamento...
Pois isso que foi e continua a ser esse julgamento politico...
Um linchamento jurídico!
Agora, graças a chicana de Barroso a Teori, ficarão dias utilizando estas falas...
Mas eu aprendi a lição...
Não coloco mais minha confiança em homens...
E continuo com muita fé, que um milagre ainda vai acontecer...
E acontecendo... Milagres existem para ser vividos e não entendidos.
Venha como vier nossa luta continua!
Henrique Pizzolato é inocente e não existiu o mensalão!
E vai ficar muito feio, lerem os embargos dele e permanecerem impassíveis diante de tantos ERROS!

Leia mais as sábias palavras do amigo Luis Nassif em;

A estreia de Luiz Roberto Barroso


Autor: 
 
Deixo para os amigos juristas explicarem.
Antes da posse, o Ministro Luiz Roberto Barroso analisou a AP 470 como ponto fora da curva, devido à severidade das penas e à falta de atenção para com os direitos individuais dos réus.
Em evento da OAB, fez um enorme elogio à coragem de Ricardo Lewandowski de ser uma voz solitária contra o efeito-manada.
Em sua primeira intervenção no julgamento, no entanto, fez uma longa peroração condenando as manobras prolelatórias de quem pediu os embargos, como se o julgamento fosse normal, corriqueiro, com os réus tendo direito a um segundo juizo.
Na sua primeira intervenção na corte, fez sociologia de irmão da estrada, com as alusões à "esperteza" dos brasileiros.  
Haverá um Barroso antes e outro depois de empossado? A esperteza macunaímica do brasileiro terá se imposto?  Falando na sequencia de Celso e Marco Aurélio de Mello, sequer tangenciou  a defesa de Lewandowski.

http://www.advivo.com.br/node/1477039

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

SHARE THIS

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido