Magazine do Xeque-Mate

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Estradas que deverão ser evitadas e tudo o que você precisa saber sobre a Greve Geral no Dia Nacional de Luta

Xeque - Marcelo Bancalero

Hoje 11/07/2013 teremos mais uma manifestação, dessa vez com lideranças! O Dia Nacional de Luta!
Segundo informações no Facebook, soubemos que a central informa que pretende fechar Marginal Tietê, Avenida do Estado, rodovias Anchieta, Castelo Branco, Raposo Tavares, Fernão Dias, Dutra e Mogi-Bertioga, todas vias importantes da região metropolitana de São Paulo. Estão previstas ainda manifestações nas cidades de Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Franca, Santos, Guarulhos, Osasco, Sorocaba, Piracicaba, Lorena, Araçatuba e São José dos Campos. Também ocorrerão atos em Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Bahia, Pernambuco, Ceará, Espírito Santo, Amazonas e Rio Grande do Norte. No Distrito Federal haverá concentração na catedral, com passeata até o Congresso Nacional.
As principais reivindicações são: 
• Redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários;
• Contra o PL 4330, sobre Terceirização.
• Fim do fator previdenciário;
• 10% do PIB para a Educação;
• 10% do Orçamento da União para a Saúde;
• Transporte público e de qualidade;
• Valorização das Aposentadorias;
• Reforma Agrária;
• Suspensão dos Leilões de Petróleo.
. Pela Democratização da Comunicação
Mas uma coisa deve ficar bem clara a todos...
Principalmente ao  que se acha o dono da manifestação desse dia 11. 
AO dizer que ; "Se PT insistir no plebiscito, vamos gritar Fora Dilma',
Quem ele pensa que é?
A manifestação é livre para quem quiser se manifestar com sua palavra de ordem!
Se eu acredito que o plebiscito é importante para o país, eu levantarei essa bandeira!

Claro que esses oportunistas que são contra o plebiscito e a vontade do povo farão de tudo para se manterem nos cargos em 2014!
Claro!
Eles sabem que se a reforma política for aprovada pela população, muitos deles vão ter de aposentar, pois nunca mais chegarão ao poder.
Mas voltando ao tema...
Faça de maneira ordeira sua parte na construção da história. Com certeza aparecerão infiltrados tentando avacalhar...
Mas vamos dar um recado ao mundo! 
O Brasil é muito mais do que  a mídia tem mostrado!
E temos orgulho de ser brasileiros!
Leia;



Protestos em todo país neste 11 de julho!

publicada quarta-feira, 10/07/2013 às 18:29 e atualizada quarta-feira, 10/07/2013 às 18:56
da Rede Brasil Atual
O dia nacional de luta marcado pela centrais sindicais e por setores dos movimentos sociais para a quinta-feira (11) já prevê dezenas de atividades em vários estados e no Distrito Federal. Os pontos que unificam as entidades do movimento de representação dos trabalhadores são redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, fim do fator previdenciário e valorização das aposentadorias, destinação de 10% do PIB para a educação e de 10% das receitas da União para a saúde, reforma agrária, fim dos leilões de petróleo e mais recursos para melhoria do transporte público. Os dirigentes também rechaçam o Projeto de Lei 4.330, de 2004, sobre terceirização.
Desse item em diante, bandeiras diversas passam a ser erguidas em atos marcados em locais diferentes. A CUT divulgou uma agenda de protestos confirmados em 20 estados e em Brasília, com manifestações, paralisações, atos públicos e passeatas. Em São Paulo, bancários, químicos, petroleiros e trabalhadores da educação e da saúde estadual são algumas das categorias que participam da movimentação conjunta, marcada para começar às 12h, em frente ao Masp. Em Brasília, o ponto de partida da atividade será o Museu da República, às 15h, com passeata até o Congresso Nacional. No mesmo horário, no Rio de Janeiro, manifestantes se concentram na Candelária. Em Belo Horizonte, trabalhadores de saúde, educação e eletricitários já anunciaram paralisações localizadas e passeata conjunta saindo às 10h da Praça Sete, no centro.
A CUT considera ainda a reforma política com plebiscito uma das prioridades dos movimentos sociais. “As manifestações democráticas da sociedade estão totalmente vinculadas às nossas manifestações. Não lutamos somente por melhores salários, nós entendemos que precisamos atender uma pauta social. Precisamos de um plebiscito para que a população tenha o direito de manifestar a sua opinião, participar e não apenas pagar a conta, como costuma acontecer”, afirma o presidente da central, Vagner Freitas.
Ontem (9), porém, o Congresso derrubou a proposta do Executivo de realizar um plebiscito ainda este ano, para que as reformas aprovadas por expressão popular pudessem ser aplicadas já nas eleições de 2014.
A CUT apoia, ainda, o “primeiro grande ato contra o monopólio da mídia”, convocado por ativistas da democratização dos meios de comunicação para a mesma quinta-feira. A atividade deve começar às 17h, em frente à estação Berrini da CPTM, na zona sul de São Paulo, de onde deve sair em marcha até a sede paulista da Rede Globo, na Avenida Engenheiro Luiz Carlos Berrini.
Em nível nacional, os petroleiros realizam greve pela suspensão dos leilões de petróleo. Representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) marcham pela reforma agrária, cobrando solução dos problemas dos acampados, desapropriações, recursos para produção de alimentos sadios, legalização das áreas de quilombolas e pela reforma urbana, para enfrentar a crise das grandes cidades e a especulação imobiliária.
A Força Sindical rejeita a ideia de reforma política. Em alguns pontos de sua nota de convocação ao dia 11, adota bandeiras próximas às dos partidos de oposição ao governo, como os ataques à equipe econômica e à inflação. “Há um desconforto entre as famílias dos trabalhadores, que estão sentindo a corrosão dos salários. É importante mostrar o descontentamento dos trabalhadores com a equivocada equipe econômica que está permitindo a volta da inflação”, diz o presidente da Força, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho (PDT-SP).
A central informa que pretende fechar Marginal Tietê, Avenida do Estado, rodovias Anchieta, Castelo Branco, Raposo Tavares, Fernão Dias, Dutra e Mogi-Bertioga, todas vias importantes da região metropolitana de São Paulo. Estão previstas ainda manifestações nas cidades de Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Franca, Santos, Guarulhos, Osasco, Sorocaba, Piracicaba, Lorena, Araçatuba e São José dos Campos. Também ocorrerão atos em Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Bahia, Pernambuco, Ceará, Espírito Santo, Amazonas e Rio Grande do Norte. No Distrito Federal haverá concentração na catedral, com passeata até o Congresso Nacional.
Em nota, os metroviários de São Paulo, cujo sindicato é filiado à CSP-Conlutas, apoiam as manifestações pelo transporte público de qualidade, o enfrentamento dos problemas da mobilidade urbana e contra todas as formas de privatizações, entre as quais incluem as parcerias público-privadas e concessões. A categoria pode interromper atividades, mas a decisão depende de assembleia marcada para a tarde de hoje.
O Sindicato dos Comerciários de São Paulo de São Paulo, filiado à UGT, convoca concentração para as 10h, na rua 25 de Março, principal centro de comércio popular de São Paulo, para sair em passeata para a avenida Paulista. Os metalúrgicos de São Paulo, ligados à Força, preveem paralisações, atos em portas de fábricas e passeatas.
O movimento envolve CGTB, CSB, CSP-Conlutas, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT. Juntamente com o MST, essas centrais reuniram-se em 25 de junho para rearticular-se e reapresentar a pauta de 2010, com a chamada agenda trabalhista, que avaliam não estar sendo encaminhada pelo governo. Após as manifestações do mês passado, foi incluído o tema de melhoria do transporte público, além de um item sobre “defesa das liberdades democráticas”.
Leia outros textos de Geral

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido