Magazine do Xeque-Mate

domingo, 16 de junho de 2013

São Paulo se prepara para mais uma semana com suspeitas de que voltará o caos. Enquanto PT quer NEGOCIAR, os outros agridem.

Xeque - Marcelo Bancalero

Fora a questão da manipulação do PSOL por trás das manifestações durante o Movimento Passe Livre que aconteceram em diversas cidades, os piores casos sendo em SP,  com o descaso e desgoverno do desgovernador her Geraldo Alckmin...
Existem a questão da legitimidade de quem busca exercer seu direito de cidadão em reivindicar. 
Partindo dai, o companheiro Alexandre Cesar costa Teixeira escreve um excelente artigo, "LIBERDADE DE MANIFESTAÇÃO COM RESPONSABILIDADE POLÍTICA" onde aborda o tema de maneira assertiva e contundente.
E a Nota da Executiva Municipal do PT, através do companheiro Rui Falcão, também de maneira assertiva, esclarece como o PT sempre agiu nesta questão do transporte público, e fala da intenção de que haja uma negociação. 
Atitude bem diferente do governo tucano, que prefere o ônus do caos, desde que o sangue da violência que este não faz nada pra impedir, respingue no PT .
Estamos sabendo que  "alguns" ,ilegítimos deste movimento legítimo, estão preparando para a próxima semana mais caos para SP.
Como disse o companheiro Alexandre; 
"Haddad está de parabéns em convidar o MPL para participar na próxima terça-feira da reunião do Conselho da Cidade.
Assim, todos nós poderemos conhecer que contribuição efetiva tem o MPL para favorecer os mais necessitados por um transporte digno.
Toda e qualquer manifestação pacífica é fundamental para avançarmos em novas conquistas sociais.
No entanto, repudiamos a TRUCULÊNCIA.
O modo petista de administrar sempre foi com muita negociação e jamais apoiaremos a REPRESSÃO."

Isso é excelente mesmo... E o tucano tenta ganhar de Haddad marcando uma reunião  um dia antes.
Leiam os artigos ;

Nota da Executiva Municipal do PT

e

LIBERDADE DE MANIFESTAÇÃO COM RESPONSABILIDADE POLÍTICA





LIBERDADE DE MANIFESTAÇÃO COM RESPONSABILIDADE POLÍTICA

por Alexandre Cesar Costa Teixeira (Notas) em Domingo, 16 de Junho de 2013 às 17:32
INOCENTE ÚTIL e a liberdade de manifestação

Comparar períodos históricos é sempre salutar quando se deseja avaliar manifestações políticas.
Fujo de maniqueísmos, pois limitam nossa possibilidade de interpretar os fatos concretos da atualidade.
Tenho comigo uma premissa: qualquer manifestação de massa tem interesses políticos.
Refiro-me a manifestações de massa, quaisquer que sejam seus componentes, estudantes, trabalhadores, aposentados, juventude e etc ...
Minha premissa também contempla um princípio/conceito: a plena liberdade de manifestação, inclusive consagrada que está em nossa Constituição art 5º, V, XVI e XVII.
Também entendo como natural a utilização de quaisquer oportunidades políticas para tentar conquistar corações e mentes.
É dever dos que analisam eventos políticos - como é o caso do MPL (Movimento Passe Livre) - despir-se de paixões ufanistas e/ou utópicas sobe pena de hiper ou sub dimensioná-los.

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO

Peça o impossível, questione a própria existência e assim se monta uma pauta de reivindicação aparentemente inegável, porém inexequível.

TENTATIVA E ERRO

Passamos o ano inteiro de 2011 com tentativas frustradas por parte da grande imprensa em fomentar manifestações de combate à corrupção. Foram diversos editoriais, capas coloridas de jornais e revistas e intensos noticiários televisivos insuflando a participação popular, mas que não conseguiram êxito.

NEM TÃO INOCENTE ASSIM

Por não apresentarem lideranças as recentes manifestações acobertam-se com um anonimato perigoso uma vez que qualquer um (pessoa ou grupo) pode se intitular direção das manifestações.
Também pode ocorrer que a manifestação sirva de instrumento político a interesses diversos dos seus.
A liberdade reside no equilíbrio entre o pensamento e a conduta.
Devemos exigir responsabilidade de todo e qualquer movimento. E o MPL tem que demonstrar ter responsabilidade.

SER CONTRA TUDO É NÃO DEFENDER NADA

Vemos a Europa e os Estados Unidos mergulhado em uma crise decorrente de suas políticas neoliberais. Vemos a primavera árabe combatendo ditadores históricos. E aqui em nosso Brasil, nos últimos dez anos, presenciamos a ascensão de enormes contingentes em uma autêntica distribuição de renda que está paulatinamente resgatando a dignidade de nossa gente mais humilde.

BRINCAR DE SER REVOLUCIONÁRIO É DESRESPEITAR NOSSA HISTÓRIA

Enfrentamos nos anos 60 e 70 uma ditadura civil/militar que tanto suor, lágrimas e sangue nos custou. Temos o dever de consciência de exigir responsabilidade dos que hoje estão exercitando a liberdade de manifestação política.

COMPARANDO PERÍODOS HISTÓRICOS

Alguns episódios daqueles tempos sombrios - os anos de chumbo - devem nos servir de ensinamento. Agentes infiltrados atuando como troll’s (para usar um termo dos tempos atuais) desvirtuaram movimentos e causaram sérios danos, inclusive mortes.
Na 2ª Guerra em plena França conhecemos a nefasta conduta dos colaboracionistas e seus argumentos enviesados.

MANIFESTAÇÃO POLÍTICA É COISA SÉRIA

Minha sugestão é no sentido de que estejamos todos nas manifestações agendadas para a semana que se inicia. E com um objetivo específico, separar o joio do trigo, ou seja, identificar quem quer negociar e quem só quer balburdiar.

"Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida" (Antonio Gramsci)

Alexandre Cesar Costa Teixeira
Junho/2013


14/06/2013 às 16:45h

Nota da Executiva Municipal do PT

Do DMSP - As recentes manifestações na cidade de São Paulo contra o aumento da tarifa de ônibus, trem e metrô para R$3,20, lideradas por vários movimentos sociais, dentre eles o MPL Movimento do Passe Livre, trazem para pauta do dia as péssimas condições de transporte e de descaso com a mobilidade urbana na cidade de São Paulo nos últimos anos.
O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores vem, através de sua Executiva, trazer algumas considerações sobre os acontecimentos.
A defesa por um transporte público de qualidade para todos os paulistanos sempre foi uma bandeira do partido. Foram nas gestões petistas na cidade que tivermos os maiores avanços nesta área, tais como Bilhete Único (que permitiu a maior economia da historia para os usuários frequentes do sistema de ônibus), corredores de ônibus, integração com os Terminais, enfim uma efetiva prioridade para um sistema público eficiente e mais barato para o usuario.
O Partido dos Trabalhadores sempre defendeu a legitimidade dos movimentos populares na luta por melhorias, seja no transporte, saúde, habitação e demais serviços públicos, de forma pacífica, democrática, com total liberdade de expressão.
Os focos localizados de violência, praticados por parte de alguns manifestantes ocorridos nos últimos três dias na cidade de São Paulo não podem levar à criminalização da luta legítima por transporte público e de qualidade na cidade.
Repudiamos a ação truculenta e sem dialogo da Polícia Militar do Estado de São Paulo, que tem sido a mesma nas greves de Professores do estado, da saúde, dos movimentos populares em geral, sob o comando das gestões do PSDB no Estado.
O Governo Democrático e Popular liderado pelo prefeito Fernando Haddad já está apresentando para população de São Paulo ações que constam em nosso Programa de Governo na área de transporte público, como Bilhete Único Mensal que começará a funcionar em novembro agora, que reduzirá custos com o transporte para muitos paulistanos, a construção de 150 km novos de corredores na cidade para ampliar a velocidade média dos ônibus, também serão licitados 11 novos terminais, nas zonas Sul, Leste e mais um na zona Norte.
Teremos também a ampliação das ciclovias na cidade, fazendo com que o trabalhador possa deixar o carro em casa e se dirigir a um metrô ou terminal usando a bicicleta.
Pela primeira vez nos últimos anos o reajuste da tarifa foi muito abaixo da inflação, exigindo um enorme esforço orçamentário da prefeitura que levará a um subsidio recorde de mais de 1,2 bilhões de reais. O prefeito cumpriu o que prometeu na campanha: reajustes abaixo da inflação.
Sabemos bem, porque estamos nesta luta há décadas, que o transporte continua caro e pesa muito no bolso do trabalhador e das famílias.
É necessário discutir seriamente as formas de financiamento de uma tarifa menos onerosa para a população.
A presidente Dilma já deu o primeiro passo, desonerando o transporte público do pagamento do PIS-COFINS. Precisamos avançar mais. O Estado de São Paulo pode e deve desonerar o ICMS do diesel para o transporte publico, permitindo abaixar ainda mais a tarifa. E registramos ainda que é necessária uma fonte permanente de subsidio à tarifa, oriunda daqueles que utilizam o transporte particular.
Dirigimos-nos a todos que lutam por transporte publico de qualidade e com tarifas mais baixas para estabelecer uma pauta programática com objetivos de curto e médio prazo para ampliar esta luta.
A negociação de uma pauta de melhoria do transporte público e de tarifas menos impactantes aos usuários do sistema exige um desarmamento de espíritos e a busca do diálogo. Temos a certeza que o prefeito Haddad tem essa disposição. Da nossa parte buscaremos com todas as forças criar condições para esse diálogo entre todos que lutam por uma cidade mais justa.
São Paulo, 14 de junho de 2013.
Executiva Municipal do Partido dos Trabalhadores
http://ruifalcao.com.br/nota-da-executiva-municipal-do-pt/

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido