Magazine do Xeque-Mate

segunda-feira, 10 de junho de 2013

DataFolha em plena campanha de manipulação, insiste em dar atestado de burrice ao eleitor de SP

Xeque - Marcelo Bancalero

Pouco depois de iniciarem as manobras a dois dias atrás derrubando a aprovação do governo Dilma e alguns pontos, agora o Instituto global DataFalha faz o impensável... Derruba até Lula na disputa pelo governo de SP em 2014!
São poucas as hipóteses dos resultados absurdos meu caro leitor...
Ou a população de SP realmente está "feliz" com a vida que leva de mal a pior a tantos anos sob o jugo do desgoverno tucano, com seus Pinheirinhos, politicas de higienização que se unidas a um mal disfarçado golpe imobiliário leva a atitudes abusivas como no caso da Cracolândia, incêndios estranhos e/ou criminosos em favelas, tarifas abusivas, trânsito caótico, saúde doente em muitos municípios, vergonha no ensino estadual, e violência batendo recordes ao ponto de SP merecer capa de revista ( numa forma de fogo amigo), o Pedagiômetro que vai abastecer a campanha tucana, Ou é isso, ou o instituto DataFalha, está oferecendo a você caro leitor de SP que lê essa matéria, o título de honorável-imbecil-perpetuador do monopólio tucano. Ou é apenas um atestado de burrice mesmo!
O instituto teve a pachorra de  fazer várias previsões, usando todos os possíveis "postes" de Lula... E o pior... Usaram o próprio levantador de postes!
Oras...
Faça-nos um favor né...
Menos...
Muito menos!
Colocar Alexandre Padilha, o mais provável poste do Lula, que está revolucionando a  Saúde, um dos pontos mais negativos do desgoverno tucano em todo o estado, como o pior desempenho na pesquisa, entre outros bons nomes petistas, é forçar demais né!
E ainda por cima atrás de Kassab?
DATAFOLHA o povo de SP não é burro!
Fernando Haddad também aparecia em último lugar nas pesquisas de 2012 lembram disso?
E foi só Lula começar seu trabalho, e olhem  que aconteceu!
Não se desgastem acreditando que o tema desgastado do MENTIRÃO lhes trará algum proveito não...
Pois logo, muito logo o feitiço voltará contra os feiticeiros!
Ah...
E 2014 é logo ali...
SOU +DIL+ de novo!
E em SP sou poste Lula, seja lá quem ele levantar!
Pois pra vencer este desgoverno e os institutos de despesquisas dos golpistas...
Tá Facim Facim!
Leia;

Alckmin venceria até Lula na disputa pelo governo paulista em 2014


A um ano das convenções partidárias que definirão os candidatos ao governo paulista, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) lidera a corrida ao Palácio dos Bandeirantes, de acordo com pesquisa concluída pelo Datafolha no fim da semana passada.
O governador aparece com ampla vantagem em todos os cenários analisados pelo instituto, até mesmo quando seu oponente é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
Embora sua candidatura seja improvável, Lula é o adversário que teria melhor desempenho contra o tucano. O petista obtém 26% das intenções de voto e Alckmin, 42%.
A entrada do ex-presidente na disputa estadual foi sugerida em novembro do ano passado pelo marqueteiro do PT, João Santana, em entrevista à Folha, mas Lula nunca manifestou interesse em se candidatar.
Editoria de Arte/Folhapress
Santana disse considerar Lula o nome ideal para unir os partidos que compõem a base da presidente Dilma Rousseff na tentativa de apear o PSDB do poder em São Paulo, onde os tucanos mandam há quase 20 anos.
Alckmin, que planeja se candidatar à reeleição, está em seu terceiro mandato como governador do Estado. Seu governo tem hoje 52% de aprovação, segundo o Datafolha, mas sua popularidade é menor hoje do que era no fim dos mandatos anteriores.
O presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf (PMDB), aparece em segundo lugar nos cenários pesquisados, com percentuais que oscilam entre 13% e 16%.
Skaf apareceu várias vezes no horário nobre da televisão desde dezembro, em comerciais veiculados pela Fiesp para defender medidas tomadas pelo governo para reduzir o custo da energia elétrica e reformar os portos do país.
Com outros nomes do PT no páreo, Alckmin também desponta como favorito, oscilando de 50% a 52% das intenções de voto, o que seria suficiente para ele liquidar a disputa no primeiro turno.
O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que diz ter desistido da disputa, teria 11% das preferências e ficaria tecnicamente empatado com Skaf na segunda colocação.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, teria 5%, e o da Saúde, Alexandre Padilha, hoje o favorito para a indicação petista, somaria 3%.
O ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD), que já expressou publicamente o interesse em se candidatar, obtém de 6% a 9% das menções.
O Datafolha entrevistou 1.642 eleitores em 43 municípios do Estado, na quinta e na sexta-feira da semana passada. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
Na sondagem espontânea, em que os eleitores manifestam suas preferências sem que o Datafolha apresente nomes de possíveis candidatos, Alckmin alcança 19% das citações. O ex-governador José Serra (PSDB), antecessor de Alckmin no cargo, é o segundo mais lembrado, com 4%.
Lula, Mercadante, a ministra da Cultura, Marta Suplicy (PT), o ex-deputado federal Celso Russomano (PRB), o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) e Paulo Skaf aparecem, cada um, com 1% das citações. De acordo com o Datafolha, 63% dos entrevistados não souberam mencionar o nome de nenhum candidato na pesquisa espontânea. (FÁBIO ZAMBELI)


Acrescento aqui o excelente artigo do companheiro José Claudio de Paula 

Pesquisas e eleições

A apresentação de pesquisas e amostragens de intenção de voto ocupa um espaço cada vez mais importante nos processos eleitorais. Há situações em que resultados previsíveis, mas pouco importantes em termos de resultados, são apresentados pela mídia tradicional com o objetivo de convencer o eleitor sobre determinada opinião ou tendência.
A apresentação dos resultados de pesquisas de intenção de voto neste final de semana pelo jornal Folha de São Paulo revelam a tendência deste veículo de comunicação em, desmoralizar possíveis candidaturas do PT à presidência da república e ao governo de São Paulo, e, ao mesmo tempo, fortalecer as perspectivas eleitorais de candidaturas da oposição ao governo federal.
A obtenção de 51% das intenções de voto para a candidata petista à reeleição,  Dilma Roussef, embora seja um número inferior ao verificado em pesquisas anteriores, ainda significa uma vitória eleitoral no primeiro turno da eleição presidencial de 2014. 
O fato de o atual governador tucano Geraldo Alckmin ser o favorito para a disputa do Palácio dos Bandeirantes não significa, automaticamente, que ele será o vencedor do pleito. O jornal, ao colocá-lo como vencedor numa hipotética (e improvável) disputa com o presidente Lula, pretende fazer crer que o atual governador paulista é imbatível, o que, sabemos, não corresponde à verdade.
Não dá pra esperar que a mídia tradicional tenha comportamento favorável ao PT e às candidaturas petistas. A apresentação dos resultados de levantamentos estatísticos será apenas um dos instrumentos midiáticos na interferência nas disputas eleitorais de 2014.
O empenho de todos os militantes do PT, dos integrantes dos movimentos sociais e partidos políticos progressistas será essencial para desarmar os argumentos do conservadorismo anti-petista. O resultado das eleições, certamente, será muito diferente dos resultados das pesquisas que pretendem influenciar a decisão do eleitorado.

License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

SHARE THIS

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido