Magazine do Xeque-Mate

domingo, 27 de maio de 2012

Branca Cascata do Rio Grande - Homenagem da Jornalista Susana Toledo à Votorantim


Branca Cascata do Rio Grande


A pedra é chata mas vidinha interiorana é doce feito cana
Coração de apaixonado vira moenda
Nossa União éra feito cimento para mim para você

Botu-ra-ti  Boturantim era uma Grande Espuma com vento branco
Sofrer por amor é virar índio sem aldeia ou negro que não é forro
Eu chorava enquanto a Votocel cantava
Dor de amor não e nada Light ensopa chita de lágrimas quando peito perde a dona da chave
Represei meu chorar nasceu Itupararanga
Nas ingrejas Santa Helena Penha Conceição Pópulo e São Francisco jurei só ser feliz
E por amor não mais sofrer
Estou tentando te esquecer
Adorando tanta beleza natural em seu lugar como Tereza e Pedro
Que de longe vieram para ver onde nasci e mais majestosos que eles só as belezas daqui
Vovô pioneiro ajudou a fundar Rio Acima Vila Albertina  Voçoroca e Itapeva
E estava aqui em 1º de dezembro se desmembrando de Sorocaba
Meu aniversário é em 27 de março
Todos sabem que sofro por amor nem disfarço
Mas se ela em mim já não acredita
Minha terra também é moça faceira e bonita de quem dos braços não quero sair
Em cada praça há histórias para ouvir
Das folhas das árvores a sussurrar
Enquanto as nuvens lá no céu brincam de dançar
No fim da tarde no horizonte o sol vira fogaréu
Aquece minha noite fria de cama vazia
Enquanto minha ilusão espera que o engano seja seu
Botu-ra-ti  Boturantim era uma Grande Espuma de vento branco
Que te levou quero que volte para este índio ter aldeia esse peito negro seja alforriado e minha saudade imigrante não precise mais chorar








www.tudotodosenos.blogspot.com

www.conexaoeuqipe.blogspot.com
www.eusoucompositorpanttanal.blogspot.com
Susana Toledo
Jornalista
(11)9758-3411(67)9999-0360





License Creatve Crommons

Postagens populares

Arquivo do blog

Anuncios

Anuncios
Custo Benefício Garantido